Duas espécies de ratos no Canadá estão migrando e apresentando mutações devido às mudanças climáticas

 

Segundo um estudo da Universidade McGill, alguns ratos encontrados no Canadá estão sofrendo transformações e estão se deslocando em direção ao norte do país, devido às alterações climáticas que estão acontecendo por todo o planeta e também no país.

Essa pesquisa foi divulgada em uma revista científica chamada Evolutionary Ecology, e os pesquisadores perceberam que as temperaturas que estão ocorrendo no inverno estão mais agradáveis, gerando com isso mutações físicas em duas espécies de ratos que são encontradas em Quebec, nas últimas cinco décadas.

Virginie Millien, chefe da pesquisa, por meio de um comunicado, disse que a pesquisa também confirmou que existem provas de que as temperaturas mais altas no inverno, fazem com que algumas espécies selvagens acabem migrando para regiões que ficam mais ao norte do país.

Nos últimos dez anos, os pesquisadores estudaram os camundongos de duas espécies que são normalmente encontrados na América do Norte, em regiões localizadas mais ao leste, o camundongo-de-patas-brancas e  o rato-veadeiro.

Segundo a pesquisa, o camundongo-de-patas-brancas está migrando para o norte do país, cerca de onze quilômetros a cada ano, devido às temperaturas do inverno não estarem apresentando um frio intenso.

Nos anos 70, de dez espécies apanhadas nove eram de ratos-veadeiros, e apenas uma era de camundongo-de-patas-brancas dentro da Reserva Natural de Gault, no vale do São Lourenço, que fica a apenas quarenta quilômetros de Montreal.

Mas esse quadro se alterou quando os camundongos-de-patas-brancas cruzaram o rio São Lourenço, em direção ao norte do país.

Segundo Millien, o princípio evolutivo conta com as alterações morfológicas, mas ainda existem poucas manifestações até o momento desses acontecimentos em mamíferos. Analisando os estudos dos anos 50 em diante, foi descoberto pelos pesquisadores que a aparência do crânio, das duas espécies de ratos que foram estudadas, alterou a sua forma durante esses anos.

Essas alterações são parecidas nas duas espécies de ratos, mais são mais acentuadas nos camundongos-de-patas-brancas. Os pesquisadores também encontraram alterações nos dentes molares, já que eles modificaram a sua posição e os cientistas acreditam que seja por causa de uma dieta diferente feita pelos ratos, devido às mudanças no clima.

O que os pesquisadores ainda vão estudar é se essas mutações são genéticas ou se essas espécies, estão apresentando uma flexibilidade para se adaptar a essas alterações climáticas aceleradas.

Mas a pesquisadora declarou que as mutações estão acontecendo em dentes e ossos, que são formações que não são fáceis de se transformar.